segunda-feira, 30 de janeiro de 2012

MEC quer tablets nas escolas

 Quando o computador começou a chegar nas escolas, no final da década de 80, ficava restrito às atividades administrativas. O equipamento começou a ser inserido no cotidiano dos alunos por meio dos antigos laboratórios de informática, ainda sem acesso à internet. Hoje, em plena era digital, a promessa é que, em pouco tempo, os tablets estejam nas mãos dos alunos disputando espaço com o quadro negro, livros e cadernos.
Para isso, o Ministério da Educação (MEC) vai lançar este ano um edital para que as redes de ensino possam adquirir o equipamento a custo mais baixo, como fez com os laptops do programa Um Computador por Aluno (UCA).
“Estamos definindo as características do aparelho, vai depender muito inclusive do custo. Não soltamos ainda o edital porque precisa ter uma definição clara dos pré-requisitos do equipamento. Tem que ter acessibilidade, ser resistente e rodar qualquer conteúdo”, explica Sérgio Gotti, diretor de Formulação de Conteúdos Educacionais da Secretaria de Educação Básica do MEC.
Atualmente, cerca de 500 escolas do país contam com os laptops educacionais do UCA. O MEC calcula que 574 mil equipamentos foram adquiridos por meio do pregão do UCA, seja pelo próprio governo federal ou por prefeituras e governos estaduais - o número inclui máquinas que já foram solicitadas e estão a caminho das escolas. 
Considerando o total de matrículas na rede pública nos ensinos fundamental e médio, o número de estudantes que têm um computador em mãos hoje dentro da sala de aula representa menos de 2% das matrículas - se cada máquina estiver sendo utilizada individualmente, como previa o projeto original. 
Segundo Gotti, a intenção nunca foi universalizar o programa e levar os laptops a todos os alunos. O ministério defende que os tablets não virão para substituir os laptops, mas complementar as tecnologias existentes nas escolas.
“As políticas na verdade se complementam e a gente espera universalizar a tecnologia unindo os tablets, os laptops e os computadores de mesa. As tecnologias se somam e a gente trabalha com as alternativas disponíveis dentro da melhor realidade de cada ambiente”, explica o diretor do MEC.

Continue lendo em: www.nominuto.com/vida/educacao/mec-quer-tablets-nas-escolas/81385/

sexta-feira, 27 de janeiro de 2012

Salário do professor no Brasil é o 3º pior do mundo

É o que mostra pesquisa feita em 40 países pela Organização Internacional do Trabalho (OIT) e a Organização das Nações Unidas para a Educação, Ciência e Cultura (Unesco) divulgada ontem, em Genebra, na Suíça. A situação dos brasileiros só não é pior do que a dos professores do Peru e da Indonésia.
 
Um brasileiro em início de carreira, segundo a pesquisa, recebe em média menos de US$ 5 mil por ano para dar aulas. Isso porque o valor foi calculado incluindo os professores da rede privada de ensino, que ganham bem mais do que os professores das escolas públicas. Além disso, o valor foi estipulado antes da recente desvalorização do real diante do dólar. Hoje, esse resultado seria ainda pior, pelo menos em relação à moeda americana.
Na Alemanha, um professor com a mesma experiência de um brasileiro, ganha, em média, US$ 30 mil por ano, mais de seis vezes a renda no Brasil. No topo da carreira e após mais de 15 anos de ensino, um professor brasileiro pode chegar a ganhar US$ 10 mil por ano. Em Portugal, o salário anual chega a US$ 50 mil, equivalente aos salários pagos aos suíços. Na Coréia, os professores primários ganham seis vezes o que ganha um brasileiro.
Com os baixos salários oferecidos no Brasil, poucos jovens acabam seguindo a carreira. Outro problema é que professores com alto nível de educação acabam deixando a profissão em busca de melhores salários.
O estudo mostra que, no País, apenas 21,6% dos professores primários têm diploma universitário, contra 94% no Chile. Nas Filipinas, todos os professores são obrigados a passar por uma universidade antes de dar aulas.
A OIT e a Unesco dizem que o Brasil é um dos países com o maior número de alunos por classe, o que prejudica o ensino. Segundo o estudo, existem mais de 29 alunos por professor no Brasil, enquanto na Dinamarca, por exemplo, a relação é de um para dez.

Segundo a Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco), o salário médio do docente do ensino fundamental em início de carreira no Brasil é o terceiro mais baixo do mundo, no universo de 38 países desenvolvidos e em desenvolvimento. O salário anual médio de um professor na Indonésia é US$ 1.624, no Peru US$ 4.752 e no Brasil, US$ 4.818, o equivalente a R$ 11 mil. A Argentina, por sua vez, paga US$ 9.857 por ano aos professores, cerca de R$ 22 mil, exatamente o dobro. Por que há tanta diferença?

quinta-feira, 26 de janeiro de 2012

LEIA E FAÇA A SUA REFLEXÃO:

 O olhar de Verissimo sobre o BBB
Que me perdoem os ávidos telespectadores do Big Brother Brasil (BBB), produzido e organizado pela nossa distinta Rede Globo, mas conseguimos chegar ao fundo do poço. A nova edição do BBB é uma síntese do que há de pior na TV brasileira. Chega a ser difícil encontrar as palavras adequadas para qualificar tamanho atentado à nossa modesta inteligência.
Dizem que Roma, um dos maiores impérios que o mundo conheceu, teve seu fim marcado pela depravação dos valores morais do seu povo, principalmente pela banalização do sexo. O BBB  é a pura e suprema banalização do sexo.
 
Luis Fernando Veríssimo
É cronista e escritor brasileiro
Impossível assistir ver este programa ao lado dos filhos. Gays, lésbicas, heteros…todos na mesma casa, a casa dos “heróis”, como são chamados por Pedro Bial. Não tenho nada contra gays, acho que cada um faz da vida o que quer, mas sou contra safadeza ao vivo na TV, seja entre homossexuais ou heterossexuais.
O BBB  é a realidade em busca do IBOPE. Veja como Pedro Bial tratou os participantes do BBB . Ele prometeu um “zoológico humano divertido” . Não sei se será divertido, mas parece bem variado na sua mistura de clichês e figuras típicas.
Pergunto-me, por exemplo, como um jornalista, documentarista e escritor como Pedro Bial que, faça-se justiça, cobriu a Queda do Muro de Berlim, se submete a ser apresentador de um programa desse nível. Em um e-mail que recebi há pouco tempo, Bial escreve maravilhosamente bem sobre a perda do humorista Bussunda referindo-se à pena de se morrer tão cedo.
Eu gostaria de perguntar se ele não pensa que esse programa é a morte da cultura, de valores e princípios, da moral, da ética e da dignidade.
 Outro dia, durante o intervalo de uma programação da Globo, um outro repórter acéfalo do BBB disse que, para ganhar o prêmio de um milhão e meio de reais, um Big Brother tem um caminho árduo pela frente, chamando-os de heróis. Caminho árduo? Heróis? São esses nossos exemplos de heróis? Caminho árduo para mim é aquele percorrido por milhões de brasileiros, profissionais da saúde, professores da rede pública (aliás, todos os professores), carteiros, lixeiros e tantos outros trabalhadores incansáveis que, diariamente, passam horas exercendo suas funções com dedicação, competência e amor e quase sempre são mal remunerados.
Heróis são milhares de brasileiros que sequer tem um prato de comida por dia e um colchão decente para dormir, e conseguem sobreviver a isso todo dia. Heróis são crianças e adultos que lutam contra doenças complicadíssimas porque não tiveram chance de ter uma vida mais saudável e digna. Heróis são inúmeras pessoas, entidades sociais e beneficentes, Ongs, voluntários, igrejas e hospitais que se dedicam ao cuidado de carentes, doentes e necessitados (vamos lembrar de nossa eterna heroína Zilda Arns).
Heróis são aqueles que, apesar de ganharem um salário mínimo, pagam suas contas, restando apenas dezesseis reais para alimentação, como mostrado em outra reportagem apresentada meses atrás pela própria Rede Globo.
O Big Brother Brasil não é um programa cultural, nem educativo, não acrescenta informações e conhecimentos intelectuais aos telespectadores, nem aos participantes, e não há qualquer outro estímulo como, por exemplo, o incentivo ao esporte, à música, à criatividade ou ao ensino de conceitos como valor, ética, trabalho e moral.
São apenas pessoas que se prestam a comer, beber, tomar sol, fofocar, dormir e agir estupidamente para que, ao final do programa, o “escolhido” receba um milhão e meio de reais. E ai vem algum psicólogo de vanguarda e me diz que o BBB ajuda a “entender o comportamento humano”. Ah, tenha dó!!!
Veja o que está por de tra$$$$$$$$$ $$$$$$$ do BBB: José Neumani da Rádio Jovem Pan, fez um cálculo de que se vinte e nove milhões de pessoas ligarem a cada paredão, com o custo da ligação a trinta centavos, a Rede Globo e a Telefônica arrecadam oito milhões e setecentos mil reais. Eu vou repetir: oito milhões e setecentos mil reais a cada paredão.
Essas palavras não são de revolta ou protesto, mas de vergonha e indignação, por ver tamanha aberração ter milhões de telespectadores.
Em vez de assistir ao BBB, que tal ler um livro, que LER A BÍBLIA - MAIOR MANUAL SOBRE COMPORTAMENTO HUMANO QUE EXISTE, um poema de Mário Quintana ou de Neruda ou qualquer outra coisa…, ir ao cinema…., estudar… , ouvir boa música…, cuidar das flores e jardins… , telefonar para um amigo… , ·visitar os avós… , pescar…, brincar com as crianças… , namorar… ou simplesmente dormir.
Assistir ao BBB é ajudar a Globo a ganhar rios de dinheiro e destruir o que ainda resta dos valores sobre os quais foi construído nossa sociedade.

quarta-feira, 25 de janeiro de 2012

Ligações entre celulares e fixos ficarão mais baratas

A partir de fevereiro as ligações entre celulares e telefones fixos ficarão cerca de 10% mais baratas. O anúncio, que aplica o novo regulamento para as tarifas cobradas nessas chamadas, aprovado em novembro do ano passado, foi feito na noite desta terça-feira (24) pela Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel).

O regulamento prevê uma redução líquida de até 45% no custo das chamadas para os usuários até 2014.

Do Diário de Pernambuco

RN receberá recursos para implantação de Unidades de Pronto Atendimento

O Rio Grande do Norte foi classificado para a implantação de Unidades de Pronto Atendimento (UPAs), por meio de recursos do Programa de Aceleração do Crescimento 2 (PAC 2), após análise do Ministério da Saúde. Na próxima segunda-feira (23), o Secretário de Estado da Saúde Pública, Domício Arruda, juntamente com o Secretário de Saúde de Pau dos Ferros e vice-presidente do Conselho de Secretários Municipais de Saúde do RN (Cosems), Fabrício Torquato, irão a Brasília, para participar de uma reunião com o objetivo de definir a localização das unidades.
Atualmente, o Estado conta com três UPAs em funcionamento: uma localizada no bairro de Pajuçara, em Natal, e duas em Mossoró. Além disso, estão em fase de construção quatro unidades, uma no bairro de Cidade da Esperança, em Natal, e as demais em Parnamirim, Macaíba e Mossoró. Está prevista, também, a implantação de unidades em Pau dos Ferros, São Gonçalo do Amarante, Caicó e Lajes.
O investimento para a construção de uma UPA gira em torno de R$ 3 milhões. Tanto a construção, quanto o custeio são realizados com recursos do Ministério da Saúde, com a contrapartida do Estado e dos municípios.
Por Assessoria da Sesap

O Rio Grande do Norte foi classificado para a implantação de Unidades de Pronto Atendimento (UPAs), por meio de recursos do Programa de Aceleração do Crescimento 2 (PAC 2), após análise do Ministério da Saúde. Na próxima segunda-feira (23), o Secretário de Estado da Saúde Pública, Domício Arruda, juntamente com o Secretário de Saúde de Pau dos Ferros e vice-presidente do Conselho de Secretários Municipais de Saúde do RN (Cosems), Fabrício Torquato, irão a Brasília, para participar de uma reunião com o objetivo de definir a localização das unidades.
Atualmente, o Estado conta com três UPAs em funcionamento: uma localizada no bairro de Pajuçara, em Natal, e duas em Mossoró. Além disso, estão em fase de construção quatro unidades, uma no bairro de Cidade da Esperança, em Natal, e as demais em Parnamirim, Macaíba e Mossoró. Está prevista, também, a implantação de unidades em Pau dos Ferros, São Gonçalo do Amarante, Caicó e Lajes.
O investimento para a construção de uma UPA gira em torno de R$ 3 milhões. Tanto a construção, quanto o custeio são realizados com recursos do Ministério da Saúde, com a contrapartida do Estado e dos municípios.
Por Assessoria da Sesap

segunda-feira, 23 de janeiro de 2012

Conhecemos muito bem essa choradeira: Femurn vê tragédia no cenário econômico das prefeituras. " Cabe muito bem o ditado popular - QUEM NÃO CHORA NÃO MAMA"



Em entrevista concedida ao jornal Tribuna do Norte, no domingo (22), o vice-presidente da Federação dos Municípios (Femurn), Jaime Calado, disse que as prefeituras terão dificuldade em administrar o pagamento do salário mínimo e do piso dos professores. Isso porque, segundo ele, as prefeituras ainda sofrem com a queda que houve no Fundo de Participação dos Municípios (FPM) em 2009 e 2010, principal fonte de renda das prefeituras. Jaime Calado citou ainda a Lei de Responsabilidade Fiscal como agravante para a situação.
No entanto, para a coordenadora geral do Sinte, Fátima Cardoso, a redistribuição do imposto sobre circulação de mercadorias, que deveria ter sido citada na entrevista, foi esquecida. “O gestor não lembrou também de dizer que o custo aluno cresceu 22,22% e que, na pior das hipóteses, o Fundo de Participação dos Municípios não cairá já que o Brasil não está vivendo reflexos da crise econômica mundial”, afirmou. Esses são pontos que, ao serem considerados, revelam uma situação bem diferente do caos relatado pelo vice-presidente da Femurn sobre as contas públicas.
Por outro lado, a sindicalista disse que já esperava esse tipo de reação por parte dos municípios. “Temos insistido com as prefeituras para que mostrem suas contas de forma que tenhamos acesso não só aos números de repasses, ou ao que é arrecadado com impostos, por exemplo. Queremos, acima de tudo, conhecer as licitações feitas e seus valores para que saibamos como esses recursos são investidos e conheçamos o porquê desse caos que os gestores sempre dizem que está instalado.”, afirmou.
Fátima Cardoso também disse que a dificuldade para se conhecer esses números é porque, no entender do gestor, essas são prerrogativas próprias de sua administração e, portanto, não dão acesso a Entidades de interesse público para que conheçam tais dados. “Dessa forma fica difícil aceitar as justificativas dos gestores. Se o problema existe, é tão grande e envolve recursos que são públicos por que não podemos conhecê-lo a fundo?”, questionou.
 

Descumprimento do piso salarial sofrerá ação judicial

Não cabendo mais recursos do governo nem de prefeitos sobre a implementação da lei do piso nacional, a direção do Sinte recorrerá - com medidas judiciais - à implantação imediata dos 22,22% com efeito retroativo a janeiro. Também será cobrado o 1/3 de hora atividade.
Segundo a coordenadora geral do Sinte, Fátima Cardoso, outras ações já estão sendo encaminhadas. Veja matéria aqui. A sindicalista disse, ainda que o tempo de espera da categoria para que a justiça seja acionada será o final de janeiro deste ano.
A direção do Sinte sugere que a categoria conheça mais as ações judiciais que serão impetradas em defesa dos interesses dos trabalhadores. Lembra também que o fato de o Sindicato acionar a justiça não significa que isso substitua a Campanha Educacional e Salarial, cuja pauta será aprovada nas assembleias da categoria.

Dilma quer ministérios com monitoramento eletrônico de gastos

A presidenta da República, Dilma Rousseff, disse hoje (23), na primeira reunião ministerial este ano, que cada ministério terá até junho para apresentar um modelo de monitoramento eletrônico, em tempo real, no qual todos os gastos e transações de cada pasta possam ser vistos e cobrados na hora pelo governo. A ideia é aumentar a transparência e evitar fraudes em convênios
 “As ações fazem parte de um projeto revolucionário, progressista, e absolutamente indispensável para a verdadeira reforma do Estado. Não por meio da demissão de servidores ou da perda de direitos previdenciários, mas por meio da gestão de um Estado mais profissional e meritocrático”, disse a presidenta, de acordo com o porta-voz da Presidência da República, Thomas Traumann.
 O porta-voz disse ainda que com a cobrança maior por parte da população quanto à oferta de mais serviços públicos, é necessário que o governo ofereça melhores serviços. “Isso não é uma questão básica de reforma do Estado. Isso é como fazer com que o Estado dê serviços melhores para a população”.
 A reunião começou às 17h10 e terminou às 20h30, horário de Brasília. Após a exposição inicial da presidenta Dilma Rousseff, falaram o presidente do Banco Central, Alexandre Tombini, e o ministro da Fazenda, Guido Mantega.
Dos 38 ministros do governo, apenas Garibaldi Alves, da Previdência Social, que ainda está de férias, e Mendes Ribeiro Filho, da Agricultura, que está em missão oficial na Europa, não participaram do encontro.
 

domingo, 22 de janeiro de 2012

Rita Lee anuncia que não fará mais shows

Rita Lee: roqueira anuncia aposentadoria dos palcosA cantora Rita Lee anunciou neste domingo que não fará mais shows ao vivo. A cantora, que se apresentou na noite de sábado no Circo Voador, no Rio de Janeiro, fala em "fragilidade física", mas afirma que não vai parar da cantar.
"Aposento-me de shows, da música nunca", escreveu a cantora em seu perfil no microblog. "Quem me viu ontem (sábado) pode bem atestar minha fragilidade física. Saio d cena absolutamente paixonadacocês (sic)". De acordo com a agenda oficial, disponível em seu site oficial, Rita Lee deve fazer uma última apresentação, marcada para o próximo sábado, dia 28, em Aracaju (SE).

sexta-feira, 20 de janeiro de 2012

Minissérie da Globo associa servidores e centrais sindicais à corrupção


E-mail Imprimir PDF
AddThis Social Bookmark Button
E eis que a TV Globo volta à pauta, novamente por razões pouco nobres. As redes sociais já têm batido na tecla dos interesses escusos por trás da minissérie “O Brado Retumbante”, e aos poucos a própria emissora vai confirmando tais intenções. Em seu terceiro capítulo, o folhetim associa os trabalhadores do serviço público do país e as centrais sindicais à corrupção. Tudo muito sutil, com o cuidado necessário para evitar futuros problemas na Justiça.

Logo no começo do capítulo desta quinta-feira (20), Paulo Ventura, sósia de Aécio Neves que cai de paraquedas na cadeira de presidente da República, anuncia à nação o envio ao Congresso de um Projeto de Emenda à Constituição (PEC) que cria a Lei de Responsabilidade Pública, cujo texto prevê punição dobrada a qualquer tipo de delito cometido por agentes públicos, quer sejam servidores, parlamentares, ministros de estado ou juízes. Em seguida, durante o jantar, o mandatário reclama à primeira-dama: “Parece que a grita vai ser grande. As centrais sindicais já ameaçaram greve geral por tempo indeterminado se a lei da ‘responsa’ for aprovada”.

Corta a cena. As emissoras de TV repercutem o conteúdo da lei, otimistas por sua aprovação. Mais um corte, desta vez para um cenário tomado pela penumbra, no qual deputados e senadores corruptos articulam um meio de arquivar a referida PEC. Algumas cenas à frente, ao sair do teatro, o presidente é apupado por manifestantes, identificados como servidores, que seguram cartazes com os seguintes dizeres: “Funcionários públicos repudiam perseguição” e “abaixo o autoritarismo”.

Durante o discurso à nação, o presidente fictício avisa que “minorias organizadas” vão tentar derrubar a PEC e faz uma proposta: “Estou aqui para convidar a maioria desorganizada para defendê-lo”, referindo-se ao projeto. Qualquer semelhança com as convocações feitas por figuras como Reinaldo Azevedo para as “marchas contra a corrupção” ocorridas no ano passado são mera coincidência.

O ataque é bem articulado, mas está longe de ser uma novidade. Desde os tempos de Getúlio Vargas, os veículos de Roberto Marinho e a chamada “grande mídia” em geral associam o sindicalismo e qualquer forma de organização de trabalhadores à baderna, à mamata pública e à corrupção. Milhares de páginas de jornais e revistas já foram dedicadas a martelar nos cérebros da população as “verdades” do Partido da Imprensa Golpista (PIG), obviamente sem nunca exibir quem foram os corruptores da história. Muda-se a forma, mas o conteúdo está longe de ser original.

Descompasso

A eleição de Lula para a Presidência vai completar uma década em outubro deste ano, mas a mídia brasileira, com a TV Globo à frente, ainda está longe de se conformar com as mudanças pelas quais o Brasil vem passando – apesar de também se beneficiar delas. Se o Brasil caminha atualmente para um futuro com mais desenvolvimento e menos desigualdade, esse novo cenário se deve em grande parte às lutas travadas pela classe trabalhadora e suas diversas formas de organização, apesar de toda a gritaria antipopular orquestrada pelos meios de comunicação.

Felizmente, com a internet esse tipo de carimbo sobre movimentos populares aos poucos vai deixando de surtir o efeito de outrora. “O Brado Retumbante”, “Veja”, o “Jornal Nacional” ou a “Gazeta de Jequitinhonha” têm todo o direito de gerar um debate sobre corrupção – ou qualquer tema delicado – na sociedade, mas precisam fazê-lo com responsabilidade e, sobretudo, honestidade. Em tempos de agressões com bolinha de papel e crimes em reality shows, a Globo demonstra não ter assimilado qualquer lição desses recentes fatos – e tampouco compreender os anseios de sua audiência.

Fernando Damasceno – Portal CTB

E eis que a TV Globo volta à pauta, novamente por razões pouco nobres. As redes sociais já têm batido na tecla dos interesses escusos por trás da minissérie “O Brado Retumbante”, e aos poucos a própria emissora vai confirmando tais intenções. Em seu terceiro capítulo, o folhetim associa os trabalhadores do serviço público do país e as centrais sindicais à corrupção. Tudo muito sutil, com o cuidado necessário para evitar futuros problemas na Justiça. 
Logo no começo do capítulo desta quinta-feira (20), Paulo Ventura, sósia de Aécio Neves que cai de paraquedas na cadeira de presidente da República, anuncia à nação o envio ao Congresso de um Projeto de Emenda à Constituição (PEC) que cria a Lei de Responsabilidade Pública, cujo texto prevê punição dobrada a qualquer tipo de delito cometido por agentes públicos, quer sejam servidores, parlamentares, ministros de estado ou juízes. Em seguida, durante o jantar, o mandatário reclama à primeira-dama: “Parece que a grita vai ser grande. As centrais sindicais já ameaçaram greve geral por tempo indeterminado se a lei da ‘responsa’ for aprovada”. 
Corta a cena. As emissoras de TV repercutem o conteúdo da lei, otimistas por sua aprovação. Mais um corte, desta vez para um cenário tomado pela penumbra, no qual deputados e senadores corruptos articulam um meio de arquivar a referida PEC. Algumas cenas à frente, ao sair do teatro, o presidente é apupado por manifestantes, identificados como servidores, que seguram cartazes com os seguintes dizeres: “Funcionários públicos repudiam perseguição” e “abaixo o autoritarismo”. 
Durante o discurso à nação, o presidente fictício avisa que “minorias organizadas” vão tentar derrubar a PEC e faz uma proposta: “Estou aqui para convidar a maioria desorganizada para defendê-lo”, referindo-se ao projeto. Qualquer semelhança com as convocações feitas por figuras como Reinaldo Azevedo para as “marchas contra a corrupção” ocorridas no ano passado são mera coincidência. 
O ataque é bem articulado, mas está longe de ser uma novidade. Desde os tempos de Getúlio Vargas, os veículos de Roberto Marinho e a chamada “grande mídia” em geral associam o sindicalismo e qualquer forma de organização de trabalhadores à baderna, à mamata pública e à corrupção. Milhares de páginas de jornais e revistas já foram dedicadas a martelar nos cérebros da população as “verdades” do Partido da Imprensa Golpista (PIG), obviamente sem nunca exibir quem foram os corruptores da história. Muda-se a forma, mas o conteúdo está longe de ser original.

Descompasso

A eleição de Lula para a Presidência vai completar uma década em outubro deste ano, mas a mídia brasileira, com a TV Globo à frente, ainda está longe de se conformar com as mudanças pelas quais o Brasil vem passando – apesar de também se beneficiar delas. Se o Brasil caminha atualmente para um futuro com mais desenvolvimento e menos desigualdade, esse novo cenário se deve em grande parte às lutas travadas pela classe trabalhadora e suas diversas formas de organização, apesar de toda a gritaria antipopular orquestrada pelos meios de comunicação. 
Felizmente, com a internet esse tipo de carimbo sobre movimentos populares aos poucos vai deixando de surtir o efeito de outrora. “O Brado Retumbante”, “Veja”, o “Jornal Nacional” ou a “Gazeta de Jequitinhonha” têm todo o direito de gerar um debate sobre corrupção – ou qualquer tema delicado – na sociedade, mas precisam fazê-lo com responsabilidade e, sobretudo, honestidade. Em tempos de agressões com bolinha de papel e crimes em reality shows, a Globo demonstra não ter assimilado qualquer lição desses recentes fatos – e tampouco compreender os anseios de sua audiência.

Fernando Damasceno – Portal CTB

Seminário estimulou debate sobre campanha salarial com núcleos municipais

O Sinte realizou um seminário sobre o cenário nacional, estadual e dos municípios e as campanhas salariais deste ano. A atividade ocorreu nessa quinta-feira (19), na sede do Sinte em Natal, tendo em vista a proximidade com o início das campanhas. Para a coordenadora geral do Sinte, Fátima Cardoso, o evento propiciou o debate dos principais conteúdos de interesse da categoria e da sociedade, que são a defesa da Educação Pública e a valorização profissional na área.
 

quarta-feira, 18 de janeiro de 2012

terça-feira, 17 de janeiro de 2012

Sinte diz que vai "enfrentar autoritarismo"

As declarações da secretária estadual de educação Betânia Ramalho, publicadas na edição deste domingo de O Poti/Diário de Natal, não foram bem aceitas pela classe que encontra-se na linha de frente da educação: os professores. Entre os pontos tratados durante a entrevista, Betânia afirmou que caso ocorra mais uma greve, como a que aconteceu no início de 2011 em que os professores da rede estadual ficaram paralisados por 80 dias, haverá cortes de salários. Segundo a presidente do Sindicato dos Trabalhadores em Educação Pública do RN (Sinte-RN), esta posição não era esperada pela categoria. "Foi um posicionamento muito autoritário e conservador de lidar com os professores demonstrado pela secretária", comentou Fátima Cardoso.


Segundo Fátima, a última conversa ocorrida entre o sindicato e a secretária foi apenas em agosto do ano passado. "Muito me estranha esta posição de Betânia. Não esperávamos este perfil dela. Do governo sim, mas não dela", afirma a sindicalista. O descontentamento com a posição declarada pela gestora da educação do RN, de acordo com o que informou a presidente do Sinte, parece ter atingido muitos dos professores ligados ao sindicato. "Somente ontem recebi mais de 30 ligações de colegas, que mostravam-se muito decepcionados e enraivecidos com o que foi dito pela secretária. Por isso não iremos nos intimidar, iremos enfrentar o autoritarismo", declarou ela.
A categoria, mesmo com a posição fincada por Betânia Ramalho na entrevista, pretende, em breve, entrar em conversas para uma possível nova paralisação, nos moldes da acontecida no início do ano passado. "Faremos uma assembleia com a categoria para discutir a atual situação da correção dos salários, porque o governo ainda não se pronunciou sobre a portaria de reajuste do piso", confirmou Fátima. A assembleia do Sinte está marcada para o dia 29 de fevereiro, na Escola Estadual Winston Churchill. O documento a que a sindicalista se refere é a Portaria Interministerial nº. 1809, publicada pelo Ministério da Educação no dia 29 de dezembro do ano passado, que diz respeito ao reajuste do piso salarial profissional nacional do magistério (PSPN).
Há falta de diálogo, pensa Fátima, que suscitou as afirmações da secretária publicadas neste domingo. "Ela foi infeliz ao dizer que a nossa greve em 2011 foi pré-fabricada e teve cunho político, quando foi uma greve justa. Político seria nos chamar para conversar e apresentar uma política de educação. Onde está o plano estadual de educação?", questiona a sindicalista. 
Apesar de todas as críticas elencadas, Fátima ainda destacou pontos positivos da entrevista da secretária Betânia Ramalho. Para ela, há ideias interessantes, mas que mesmo assim ainda precisam ser amadurecidas em discussões. "Ela [Betânia Ramalho] uniu todas as boas ideias - médio profissionalizante, Ensino Inovador, entre outros, como o projeto Brasil Trabalhador - em um 'samba do crioulo doido', mas precisa-se de discussão. Gostaria que a secretaria nos chamasse para sentarmos e debatermos amplamente essas possibilidades", diz Fátima Cardoso.
A sindicalista ainda elogiou a secretária de educação, ao mesmo tempo em que questionou o marasmo da atual gestão. "Betânia é um dos melhores quadros da universidade federal, com inúmeros estudos sobre educação, mas falta estar mais ligada com a educação básica. Qual é a política do Estado para a educação? Se você me perguntar eu não sei", finalizou a presidente do Sinte.

domingo, 15 de janeiro de 2012

NÃO VEJO NOVIDADE NESSA AFIRMAÇÃO DA SECRETÁRIA DE EDUCAÇÃO NO RN: "TOLERÂNCIA ZERO COM GREVES"


Quero lembrar a senhora secretária de educação, como professor, que greve é um direito do trabalhador neste país e que a decisão de deflagrá-la ou não cabe à categoria dos educadores, nesse caso. Também não vejo novidade alguma em tal afirmação"Daqui pra frente, a tolerância com greve vai ser zero"; seria novidade se a excelentíssima afirmasse o total cumprimento da LDB, por exemplo, principalmente no que diz respeito à qualidade no ensino e isso passa essencialmente pela valorização do trabalhador em educação quanto ao seu salário, condições didático-pedagógicas para o exercício da função, adequação da estrutura física das escolas ao século XXI entre outros. INTIMIDAÇÃO NÃO CALARÁ E NÃO FARÁ OS PROFRESSORES CRUZAREM OS SEUS BRAÇOS . NEGOCIE SECRETÁRIA!

  Por Professor Renier Luiz

VEJAM UM POUCO DO QUE FOI DITO EM ENTREVISTA AO DIÁRIO DE NATAL: 


Ela saiu de uma estrutura consistente como a UFRN, considerada uma das melhores universidades do país, com a missão de gerenciar o sistema gigantesco e inoperante da Secretaria de Educação do Estado, cujo ensino é considerado um dos piores do país. Ao final do primeiro ano de gestão, a secretária de Educação, Betânia Ramalho, fala à reportagem do Diário de Natal como está administrando essa contradição tentando reverter um quadro tão desfavorável. Ao fazer um balanço e desenhar projetos para este ano, ela olha para trás e lembra que, ao pisar no prédio da Secretaria, foi recebida com uma greve de professores que terminou sendo a maior da história e trouxe incalculáveis prejuízos para a população. Mas afirma: "Daqui pra frente, a tolerância com greve vai ser zero. Os professores e sindicato vão pensar duas vezes na hora de implementar o movimento porque se os trabalhadores têm garantidos seus direitos como piso nacional não há razão que justifique isso [...]

 LEIA MAIS EM: http://www.diariodenatal.com.br/2012/01/15/cidades3_0.php

quinta-feira, 12 de janeiro de 2012

FIZ QUESTÃO DE PUBLICAR OS DOIS TEXTOS ABAIXO E FAÇO UM QUESTIONAMENTO: TEMOS CONDIÇÕES DE REALIZAR UMA COPA DO MUNDO?

ATÉ QUANDO CASA DO ESTUDANTE, HOSPITAIS ( A EXEMPLO DO QUE ACONTECE NO WALFREDO GURGEL), ESCOLAS, DELEGACIAS CONTINUARÃO NESTE ESTADO DE COMPLETO ABANDONO DO PODER PÚBLICO. UMA VERGONHA ISSO!

Casa do Estudante pede socorro

Um verdadeiro estado de calamidade pública. Urina dentro de garrafas plásticas, goteiras, telhas quebradas, salas com rachaduras e mofo. Um odor forte e mal cheiroso nos corredores mal leva a crer que é neste prédio que funciona a Casa de Estudante do Rio Grande do Norte, mais necessariamente o setor masculino. Atualmente, 210 estudantes ocupam a entidade. No período de férias, os alunos não contam com o almoço preparado pelos funcionários da casa e nem com a higienização do local, o que piora ainda mais a situação daqueles que tiveram que ficar no local durante o período de férias.


Logo na entrada é possível ver lixo acumulado e uma televisão quebrada por vândalos há anos. Com facilidade, a reportagem entra no recinto sem que ninguém questione o que faziam ali ou o que queriam. O cenário de abandono e descaso começa a ganhar forma com o discurso dos estudantes, principais usuários da Casa do Estudante.
Roberto Souza, nome fictício de um estudante de 19 anos que não quis se identificar, está na casa há seis meses. Caicoense, o jovem estuda da Escola Estadual Felipe Guerra e precisa se submeter a morar no local por não ter outro lugar para ficar. "É deprimente viver aqui. Tudo é tão sujo e precário. A alimentação, quando tem, é ruim. Sem contar que existem pessoas que moram na casa que não são mais estudantes e querem mandar em tudo", revela.

Depredação piora o quadro. Última reforma ocorreu em 2007
Os alimentos, o gás e o pagamento de luz e água do prédio estão sob a responsabilidade da Secretaria Estadual de Trabalho, Habitação e Assistência Social (Sethas). Segundo o secretário adjunto da pasta, Walter Correia, a secretaria nunca deixou faltar recursos para manter a parte de sua incumbência. "A nossa parte está sendo feita. Porém, o prédio não é da responsabilidade do Governo Estadual. Cabe à administração cuidar da infraestrutura do prédio", disse o secretário.
Desabrigados usam a casa para lavar roupas, tomar banho e deixam o local ainda mais sujo. Os estudantes precisam aprender a compartilhar o espaço com não moradores e com qualquer pessoa que quiser entrar na casa. O quesito segurança é colocado em jogo constantemente, uma vez que o medo de assaltos e de roubos deixa os jovens que ali residem ainda mais inseguros.

O estado deplorável da casa é conseqüência do tempo e das ações de vandalismo cometidas pelos próprios estudantes que moram na casa. A última reforma em 2007, durante o governo Wilma de Faria, "não passou de uma maquiagem", segundo afirma outro estudante de 26 anos, que está na casa desde 2006, o qual também não quis se identificar. "Pouco tempo depois tudo volta a aparecer destruído: pias, lavabos, sanitários, chuveiros; tudo", revelou Francisco Lopes, nome fictício.
Segundo Francisco, a falta de consciência das pessoas que freqüentam a casa é a principal causadora da deterioração do prédio. "O pessoal não preserva, não cuida. Só estraga e quebra. Só pode dar nisso", disse o jovem. As aulas de reforço são dadas em um auditório detonado, com carteiras quebradas, diversas frestas no telhado e sem a prometida biblioteca e computadores. A iluminação do local não existe: "De noite, temos que andar apalpando as paredes ou com lanternas. As lâmpadas que tinham, os próprios estudantes retiraram para repor no quarto. É uma escuridão total", conta.

Hospital está lotado, com dívida e desabastecido

Enquanto aguarda verba extra do governo federal, o maior hospital do Estado, o Walfredo Gurgel, vive uma situação de caos. A superlotação registrada, nos últimos 45 dias, agravou a crise de desabastecimento, instalada por causa de uma dívida de R$ 380 mil junto aos fornecedores. Falta o mínimo necessário para que os pacientes sejam atendidos, desde materiais de uso hospitalar à medicamentos, como xilocaína e anestésico, há, pelo menos, três dias. 
A situação foi classificada como "uma grave violação aos direitos do paciente" e "um desrespeito à dignidade humana" por representantes do Conselho Regional de Medicina [Cremern], do Conselho Regional de Enfermagem [Coren] e da Comissão de Direito de Saúde da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB-RN), que visitaram o hospital, ontem pela manhã. A vistoria durou cerca de duas horas e trouxe à tona números que, no mínimo,  preocupam.

Ontem, às 12h, o setor de enfermagem contabilizava 15 pacientes internados no Centro de Recuperação de Operados (CRO),  dos quais seis em macas. No Pronto-socorro, 96 pacientes estavam internados em corredores e outros 18 estavam 'entubados', ou seja, com ventilação mecânica, fora de Unidade de Terapia Intensiva por falta de leitos. Nos corredores do Politrauma e do CRO a condição é desumana, para pacientes e profissionais de saúde.

No CRO, por volta das 10h, a situação era crítica: apenas um enfermeiro e três técnicos davam assistência aos 15 pacientes - quatro deles alojados no corredor, que dá acesso ao centro cirúrgico. O déficit de pessoal é crônico na unidade. Segundo cálculos da coordenação do Setor de Enfermagem a unidade precisaria contratar mais 248 técnicos de enfermagem e 32 enfermeiros, para atender a demanda reprimida.

Depois da fiscalização, as entidades anunciaram que vão elaborar um relatório e, em reunião conjunta, discutir medidas a serem adotadas, inclusive no âmbito jurídico. "A situação piorou drasticamente nos últimos 60 dias. Eu vi colegas, técnicos e enfermeiros chorando, num estado de estresse muito grande, querendo fazer alguma coisa e não pode. A prática da enfermagem está totalmente prejudicada, desumana, e estamos prestando uma assistência indigna porque não tem pessoal suficiente, nem estrutura", resumiu a presidente do Coren, Alzirene Nunes de Carvalho. Ela considerou a situação de "calamidade pública" e disse que não aceita mais a desculpa de que falta recurso. "Tem que ter uma providência imediata porque pacientes estão aqui dentro correndo perigo de morte, quando não deveriam ir à óbito".

O risco está por todo o lado. A unidade tem pacientes esperando por UTI nos corredores; pacientes 'entubados' no CRO, no politrauma e nas observações clínicas 1 e 2. Hoje, o número de leitos de UTI do HWG é superior ao que preconiza a Organização Mundial de Saúde (de 8 a 10% dos leitos gerais). São 35 leitos de UTI e 280 leitos no total, que não atendem a demanda reprimida. 
Na sala do CRO, um paciente do pós-operatório, que deveria estar no isolamento, dividia o espaço da unidade com outros dez. "Nossa visita é para saber a realidade dos recursos que estão disponíveis para a Saúde., para que possamos tentar mudar esse quadro, que não é específico do Walfredo Gurgel", afirmou a presidente da Comissão de Saúde da OAB/RN, Elisângela Fernandes. 
É uma realidade que só vai se modificar quando se resolver a situação no Estado, da assistência primária". A falta de medicamentos - destacou - "é mais grave do que vê pacientes desassistidos porque não têm uma equipe que possa assisti-los e não tem medicamentos. Não que a internação em corredor não seja grave. É grave, mas a curto prazo não temos como resolver. Construir um hospital é mais complicado, mas podemos dar condições de trabalho a quem está aqui".

Deseja ler mais, acesse: http://tribunadonorte.com.br/noticia/hospital-esta-lotado-com-divida-e-desabastecido

Sinte prepara documentação para iniciar ação pela hora atividade

A direção do Sinte está providenciando a documentação necessária para ingressar na justiça com uma ação para o cumprimento do 1/3 de hora atividade tanto pelo Estado quanto pelos municípios.
Segundo a coordenadora geral do Sinte, Fátima Cardoso, não há qualquer discussão sobre o assunto no Estado e apenas alguns municípios têm se pronunciado sobre a questão. “Sempre que a direção do Sinte buscou discutir este assunto em audiência com a Secretaria de Educação não encontrou retorno. Sendo assim, não iremos aguardar mais um ano de indiferença.”, disse.
Como se dará a ação:
1- Nesta ação o Sindicato pedirá o cumprimento da aplicação da hora atividade para o ano de 2012, ou seja, jornada de 20h em sala de aula e 10 horas de atividade fora da sala para quem possui 30 horas como jornada de trabalho.

2- Será solicitado o pagamento do tempo de aula que excedeu do previsto pela lei. A cobrança será feita desde a aprovação da lei.
3- Piso Salarial: neste caso, o Sinte cobrará o valor retroativo ao pagamento do Piso que não foi implantado pelo Estado corretamente; a compensação de vantagens pessoais que o Estado continuou aplicando de janeiro de 2010 a agosto de 2011; além do valor referente ao período de setembro a dezembro de 2011. Caso o Estado não implante os 22,22% neste mês de janeiro, a ação será dirigida direto ao STF em fevereiro e com efeito retroativo à solicitação de cumprimento da lei.
Documentação
Como o Sinte será o substituto processual na ação, não será necessário que os filiados tomem qualquer medida. A direção solicitará ao Estado a relação de todos (as) professores e professoras. Se o Estado fornecer a lista, o procedimento será o seguinte: Sócios (as) pagam 10% aos advogados por seus honorários, não sócios (as) pagam 20%. Quem fizer a filiação no período em que se implanta a ação também só pagará 10% aos advogados.

Governadora promete implantar promoções horizontais de professores

Artur Melo
Ao comentar as dificuldades enfrentadas em seu primeiro ano de governo, na manhã desta quinta-feira (12), no Jornal 96, a governadora Rosalba Cialini (DEM) prometeu que todas as promoções horizontais pendentes dos professores do Estado serão implantadas em 2012.
Outra medida anunciada pela governadora foi o reajuste salarial da categoria, em conformidade com o piso nacional da classe. "Sempre que houver aumento do piso, haverá reajuste aqui também", prometeu.
Ela comentou que os 3.500 aprovados em concurso para a Educação serão chamados à medida que força tarefa para tratar da admissão desses concursados seja montada. Segundo ela, outras medidas que dizem respeito à implantação dos 14 planos de servidores aprovados seguirão sendo implantadas gradualmente, de acordo com os limites da Lei de Responsabilidade Fiscal.
Segundo ela, esse é um dos motivos para que aina não tenha havido convocacão dos aprovados no certame para o Detran, cujo concurso precisa ainda ser homologado.
 

terça-feira, 10 de janeiro de 2012

Estado confirmou pagamento do terço de férias

Está confirmado o pagamento do 1/3 de férias em janeiro para os Funcionários e Professores da rede estadual de ensino. Segundo a coordenadora geral do Sinte, Fátima Cardoso, a direção adiantou o trabalho este ano para evitar discriminação com os funcionários. A dirigente disse ainda que, apesar da confirmação dada pelo Estado, o Sinte acompanhará de perto o fechamento da folha de pagamento.

segunda-feira, 9 de janeiro de 2012

RN ganha maior fábrica de feldspato do país

O Rio Grande do Norte desponta novamente como um dos maiores produtores no segmento de mineração do Brasil. O estado já foi destaque na exploração de ouro, calcário, pedras preciosas e agora será de feldspato. 
A novidade foi anunciada pela empresa Casa Grande Mineração - que será inaugurada ainda este mês - e que fará a moagem de feldspato no município de Parelhas, região Seridó do Estado. 
Na primeira fase, a empresa investiu mais de R$ 15 milhões e já contabiliza 110 empregos diretos e mais de 300 indiretos. De acordo com o diretor-presidente da CGM, João Leal, a empresa foi criada para desenvolver todo o processo de produção mineral, permitindo todas as etapas, que vão desde a pesquisa mineral, com um laboratório de análise mineral montado e equipado com instrumentos de última geração, passando pela exploração, beneficiamento e transporte dos produtos até seus clientes. 
Em relação à produção, dois índices animam os potiguares: a empresa começa a funcionar com uma capacidade produtiva de 5 mil toneladas/mês de minerais industriais não metálicos, ou seja, uma produção anual de 60 mil toneladas. 
E para quem não conhece o uso do feldspato, o Pensando Economia informa: pode ser usado na fabricação de plástico, papel, borracha, PVC, tintas, creme dental, abrasivos, louça de mesa e sanitária, isoladores, porcelanato, pisos e revestimentos e outros. 
Gostou? Então, pode ficar animado que a empresa tem tudo para crescer e gerar mais empregos no Rio Grande do Norte.
 

AÇÃO PREVENTIVA: Cosern em Lajes

A Cosern tem realizado em Lajes um trabalho de prevenção; a empresa enviou uma equipe de funcionários que, entre outras ações, vem substituindo cabos (fios) com possibilidade de rompimento. Elogiável atitude; isso evita maior consumo, eventual falta de energia ou maiores danos (queima de eletrodomésticos, por exemplo). Aliás, sugiro à prefeitura de Lajes que providencie a adequação (suspensão) da rede elétrica das ruas onde haja a previsão da passagem de trio-elétrico durante o Carnaval. ISSO É URGENTE!

quarta-feira, 4 de janeiro de 2012

UM EXEMPLO A SER SEGUIDO: Primeiro lugar em Medicina é filho de artesão e costureira

 O vestibulando aprovado em primeiro lugar no curso de Medicina da UFRN é filho de um artesão e de uma costureira. Alex Carvalho Monteiro, de 19 anos, é cearense e já cursa Medicina na UERN, em Mossoró.

"A gente já esperava que ele fosse aprovado em primeiro lugar, porque já tinha feito isso na primeira fase. Mas não deixa de ser um orgulho muito grande para toda a nossa família", falou, emocionado, o artesão José Godeiro de Freitas.

A mãe de Alex, Maria Leni de Carvalho, é costureira em Fortaleza. "Somos humildes, por isso investimos na educação de nosso filho. Hoje, a vitória é nossa também", falou a costureira que mora na Praia do Futuro.

segunda-feira, 2 de janeiro de 2012

02 de janeiro de 2012 às 09:53 Concursos previstos para 2012 somam 26,8 mil vagas

Para os concurseiros, 2011 foi um ano de pouca graça, sem grandes seleções nacionais e com poucas oportunidades de treinar o que aprenderam. Mas 2012 começa com outro cenário, a julgar pelo Orçamento da União aprovado pelo Congresso: apenas no âmbito federal, devem ser abertas 26,8 mil vagas por meio de concurso público.
A época de “vacas magras” é coisa do passado. Nos últimos meses de 2011, o Ministério do Planejamento já mostrou estar disposto a mudar a postura de austeridade anunciada no começo do ano. Nomeações, autorizações e uma proposta orçamentária não deixam dúvidas de que a agenda dos candidatos ao serviço público ficará bastante ocupada neste ano.
Dezembro foi recheado de novidades para os concurseiros. A publicação do edital do Senado, mesmo com erros e polêmicas; a seleção de 1,8 mil novos servidores para o INSS; as autorizações para as carreiras da Advocacia Geral da União e Polícia Federal e o anúncio da contratação do Centro de Seleção e Promoção de Eventos da Universidade de Brasília (UnB) para o novo concurso do Superior Tribunal de Justiça (STJ).
Os concursos do Executivo federal mais cobiçados estão listados aqui. A eles se soma a divulgação do edital do Senado, a expectativa de uma nova seleção da Câmara dos Deputados. Também devem ser realizadas seleções para o Tribunal Superior do Trabalho (TST) e o Supremo Tribunal Federal (STF) ainda no primeiro semestre e, até dezembro, no STJ.
A previsão de gastos de 2012 reserva 150 vagas para analistas de controle externo da Controladoria Geral da União (CGU), 500 para o Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit), 75 para analistas de infraestrutura e 157 para analistas de comércio exterior do Planejamento, sem contar as 1.872 chances nas polícias Federal e Rodoviária Federal e as 6.477 para substituição de terceirizados com contratos irregulares na administração direta e indireta do Executivo.
As agências reguladoras também se preparam para novos concursos: a Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) termina o levantamento das áreas que precisam de reforço. A Agência Nacional do Petróleo (ANP), a Agência Nacional de Águas (ANA), a Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) e a Agência Nacional do Cinema (Ancine) aguardam autorização para, juntas, preencher 500 postos de trabalho.
Judiciário
A briga por reajustes dos servidores do Judiciário continua em 2012. Os aumentos salariais não foram previstos no Orçamento e ainda causarão polêmicas e greves. Um pouco afastados disso e confiantes de que cedo ou tarde os reajustes virão, concurseiros de todo o país se empenham para mais um ano dezenas de processos seletivos na área.
Apenas a Justiça Federal selecionará 1.891 novos servidores para atuarem em vários pontos do país. A Justiça Eleitoral, que tem provas marcadas para fevereiro de seu tribunal superior (TSE), preencherá 752 postos. Já a Justiça do Trabalho, campeã em expansão e seleções, precisa de 4.449 profissionais para atender às demandas surgidas.
Projetos de lei
A oferta de vagas no serviço público não deverá parar nos próximos 12 meses.  Os 38 projetos de lei que tratam do assunto no Congresso preveem a abertura de 111,7 mil vagas para os próximos anos, 94 mil só para professores e técnicos do Ministério da Educação (PL n.º 2.134/2011) e 1,2 mil, para diplomatas e oficiais de chancelaria do Ministério das Relações Exteriores (PL nº 7.579/2010).
Também há textos em análise para tribunais do Trabalho. Pelo menos 16 regiões serão atendidas com 2.741 oportunidades a serem criadas caso as propostas sejam aprovadas conforme os projetos enviados.
Fonte: Congresso em Foco

Papa ganha Lamborghini e decide leiloá-lo

O Papa Francisco foi presenteado nesta quarta-feira com um modelo especial da marca de automóveis de luxo Lamborghini, de cor branca, que ...