sábado, 16 de junho de 2018

FUTEBOL - SOBRE COPAS DO MUNDO

Zito e Pelé, sem piercing, sem dois milhões de tatuagens no corpo, sem cabelinho moicano, sem brinquinhos nas orelhas, sem salários de 6 dígitos, sem empresários leoninos, em uma rua qualquer de Estocolmo, durante a copa de 1958. Apenas dois gênios do futebol, flanando, sem seguranças pessoais e que trouxeram a primeira copa do mundo para o Brasil.

PROFESSOR RENIER PRÉ-CANDIDATURA

DIRIGINDO-ME INICIALMENTE AOS TRABALHADORES E TRABALHADORAS EM EDUCAÇÃO. 

APRESENTANDO PROPOSTAS EM CONCORDÂNCIA COM O ANSEIO DO POVO DO RN.

sexta-feira, 11 de maio de 2018

Exposição fotográfica mostra a perversidade do trabalho escravo e infantil em pleno século 21


No mês em que se completa 130 anos da Abolição dos Escravos, o Senado recebe a exposição fotográfica “Sobre o peso das correntes nos teus ombros”, do auditor fiscal Sérgio Carvalho, no Espaço Cultural Ivandro Cunha Lima, na capital federal.
Brasília é a segunda cidade a receber essa exposição. A primeira foi a capital do Ceará Fortaleza. Com 37 fotos coloridas e em preto e branco, sendo que 14 retratam o trabalho infantil, a exposição foi aberta à visitação pública na segunda-feira (7), mas foi inaugurada na terça-feira e vai até o dia 18, totalmente grátis, todos os dias a partir das 8h.
São fotos impressionantes da realidade encontrada pelo auditor em fiscalizações realizadas. “Em 1996, comecei a fotografar trabalhadores vítimas da escravidão moderna para dar visibilidade ao tema e de alguma forma contribuir para a conscientização e erradicação dessa chaga, que ainda perdura em todas as regiões do país”, conta.
De acordo com ele, “nessas andanças, que já duram mais de 20 anos, o que mais me sensibiliza é a situação degradante do trabalhador desde o local em que dorme e descansa até a comida e água que lhes são servidas”. Para ele, “é importante colocar isso para os parlamentares que fazem a política brasileira”.
Carlos Silva, presidente do Sindicato Nacional dos Auditores Fiscais do Trabalho (Sinait), diz que “o ataque às instituições que defendem os trabalhadores, precisa ser enfrentado e combatido por todos, especialmente pelos auditores-fiscais do Trabalho”.
Segundo ele, a situação é degradante, “em especial trabalhadores e a parcela mais vulnerável que depende de políticas públicas”. O Sinait informa que desde 1995 foram resgatados do trabalho escravo mais de 52 mil trabalhadores.
Recentemente, a Fundação Walk Free, em parceria com a Organização Internacional do Trabalho (OIT), identificou 45,8 milhões de pessoas em situação análoga à escravidão no mundo. Já no Brasil, o número de pessoas submetidas à escravidão moderna passou de 155,3 mil em 2014 para 161,1 mil em 2017.
“O governo golpista de Michel Temer põe obstáculos ao combate ao trabalho escravo, pressionado pela bancada ruralista (numerosa no Congresso)”, afirma Vânia Marques Pinto, secretária de Políticas Sociais da CTB.
Ela lembra de um projeto que mudava o conceito de trabalhador escravo, “impondo o conceito de que só seria considerado escravo aquela trabalhadora ou trabalhador que estivesse privado do direito totalmente de sua liberdade, desconsiderando amplamente a realidade e o modo de operar das empresas”.
Segundo a OIT existem no país 2,7 milhões de crianças exploradas pelo trabalho infantil. Vânia conta que “o combate a essa prática vinha crescendo e o Brasil chegou a ser considerado como modelo pela OIT”. Com o golpe de Estado de 2016, “a crise recrudesceu e com isso a exploração ao trabalho infantil é mais sentida. Nas ruas salta aos olhos o número crianças e jovens em situação precaríssima”, denuncia.
Já Rosa Maria Campos Jorge, vice-presidenta do Sinait, espera que a exposição sensibilize os parlamentares porque essa “mostra traz tudo aquilo que acontece de verdade com os trabalhadores e que nós todos temos o dever de lutar para acabar de vez com essa chaga social”.
Vânia lembra ainda que “a reforma trabalhista, a Emenda à Constituição 95 - que congela investimentos no setor público -, a terceirização ilimitada e os cortes nas políticas públicas pioram ainda mais a situação de vida das pessoas e aumenta a violência e a precarização do trabalho”.
Durante a cerimônia de lançamento da mostra na terça-feira (8), a diretora do Sinait, Vera Jatobá, entregou ao senador Paulo Paim (PT-RS) um exemplar do cordel “Na contemporaneidade resgatar da escravidão”, do cordelista pernambucano Allan Sales. O livreto será lançado em audiência pública na Comissão de Direitos Humanos e Legislação Participativa do Senado na terça-feira (15), sobre os 130 anos de Abolição da Escravidão. 
Marcos Aurélio Ruy – Portal CTB com informações do Sinait

terça-feira, 8 de maio de 2018

até quando professor terá que implorar por direitos?

O pagamento da correção de 6,81% do Piso Salarial 2018 depende da criação e aprovação de um projeto de lei. É o que informou o Procurador Geral do Estado ao SINTE/RN nesta segunda-feira (07/05) durante visita de dirigentes do Sindicato à PGE (Procuradoria Geral do Estado). Entretanto, o projeto não deverá passar pelos trâmites normais e comissões. Ao longo da semana passada o Sindicato cobrou do governo explicações e o pagamento imediato do Piso, conforme firmado em acordo judicial na greve da Rede Estadual. O SINTE chegou a conversar com o Secretário de Administração na última sexta-feira (04).

E na tarde desta segunda (07) o SINTE esteve, mais uma vez, na Secretaria de Administração em busca de uma nova audiência com o secretário Cristiano Feitosa. Porém, o Secretário não recebeu o Sindicato. Os dirigentes do SINTE conversaram com a secretária do Cristiano Feitosa. “Falamos com a secretária dele e demos um ultimato: queremos uma audiência com o Secretário até o meio dia desta terça e o envio do projeto à Assembleia. Se a audiência não acontecer até amanhã, ao meio dia, a direção do SINTE/RN vai acampar amanhã à tarde, na secretaria de administração”, afirmou o coordenador geral do SINTE/RN, professor José Teixeira.

O sindicalista disse que, se o Sindicato não tiver respostas, vai comunicar ao desembargador Glauber Rêgo, que mediou o acordo judicial que pôs fim a greve da Rede Estadual, que o governo está descumprindo o que prometeu: “Vamos informar ao Desembargador que o governo não cumpriu com o acordo que firmou conosco, que foi o de pagar o Piso Salarial agora em maio”.

Teixeira disse que a categoria poderá ser chamada nos próximos dias para uma assembleia e que não descarta a possibilidade da retomada da greve caso o governo não pague o Piso.

sexta-feira, 20 de abril de 2018

educação no RN- tabela salarial dos educadores da rede estadual 2018


Número de professores com transtornos mentais dobra no Brasil, diz pesquisa

Uma recente pesquisa divulgada pela Globonews afirmou que o número de professores de escolas estaduais afastados por transtornos mentais ou comportamentais quase dobrou entre 2015 e 2016. De acordo com a apuração no ano de 2015, cerca de 25.849 professores apresentaram algum tipo de problema. Em 2016 esse números chegou a 50.046. No ano de 2017, até setembro, houve 27.082 afastamentos de docentes.
Outra pesquisa realizada pela Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE) com mais de 100 mil professores e diretores de escolas do segundo ciclo de ensino fundamental revela que o Brasil é o país que tem o maior índice de violência contra professores. A enquete foi feita com 34 países e constatou que 12,5% dos professores brasileiros já foram vítimas de agressões verbais ou intimidação de alunos pelo menos uma vez na semana.
Outro pesquisa denominada Trabalho Docente na Educação Básica do Brasil revela que depressão, ansiedade, nervosismo e estresse são algumas das principais causas que levam ao afastamentos de professores. Em declaração a Confederação Nacional dos Trabalhadores da Educação (CNTE) afirma que a categpria sofre muito estresse devido à quantidade de alunos em sala de aula, baixa remuneração e pelas más condições de trabalho.
fonte:https://www.psicologiasdobrasil.com.br/numero-de-professores-com-transtornos-mentais-dobra-no-brasil-diz-pesquisa/

Juristas Potiguares Pela Democracia e Cidadania classifica como “deplorável” a escolha de Rogério Marinho e Nevaldo Rocha para Medalha do Mérito Djalma Marinho – TRT 21ª Região.


20 de abril de 2018 
A Associação dos Juristas Potiguares Pela Democracia e Cidadania (AJPDC),  também enviou nota protestando a escolha dos nomes dos deputados Rogério Marinho e o empresário Nevaldo Rocha para receber hoje (20) a Medalha do Mérito Djalma Marinho concedida pelo Tribunal Regional do Trabalho da 21ª Região.

 NOTA DA AJPDC CONTRA O ATO DO TRT21 QUE CONDECORA O DEPUTADO ROGÉRIO MARINHO E O EMPRESÁRIO NEVALDO ROCHA

 A Associação dos Juristas Potiguares Pela Democracia e Cidadania (AJPDC), entidade não governamental e sem fins corporativos, que tem dentre suas finalidades a defesa e a promoção dos direitos fundamentais e a observância dos valores e práticas jurídicas compatíveis com a preservação do Estado Democrático de Direito, VEM, a público, manifestar seu mais veemente protesto contra o ato do Tribunal Regional do Trabalho da 21ª Região que concede a Medalha do Mérito Djalma Marinho ao Deputado Rogério Marinho e ao empresário Nevaldo Rocha, pelo motivos descritos a seguir:

1. O parlamentar Rogério Marinho tem se destacado nacionalmente como um dos mentores do processo antidemocrático, desencadeado a partir do Golpe de 2016, para a desconstrução dos direitos sociais dos trabalhadores brasileiros. O citado deputado foi relator de uma reforma trabalhista que, em toda a história da República Federativa do Brasil, representou o ato de mais profundo desapreço aos fundamentos sociais do direito laboral e o mais incisivo desrespeito aos preceitos constitucionais do valor social do trabalho e da dignidade da pessoa humana;

2. O megaempresário Nevaldo Rocha e o seu filho Flávio Rocha são defensores públicos de lutas ideológicas pela fragilização e pela extinção da Justiça do Trabalho, fatos que certamente beneficiam as corporações que descumprem os direitos sociais dos trabalhadores e que não são compatíveis com a construção de uma sociedade justa e solidária;

3. É estranhíssimo que uma Corte Trabalhista, com atuação num país de colossais desigualdades e de abissais discriminações, ao deparar-se diuturnamente diante de um reiterado histórico de litígios que revelam a existência de trabalhadores moralmente assediados, dirigentes associativos discriminados, entidades sindicais molestadas por atos antissindicais, obreiros mutilados ou adoecidos pelas más condições de trabalho, empregados espoliados em suas conquistas, homens e mulheres vilipendiados em sua dignidade e explorados em seus direitos mais básicos, ainda assim tenha a disposição para prestar homenagem a quem deseja destruir a Justiça do Trabalho e torná-la mera reminiscência histórica;

4. Diante de tão deplorável iniciativa, a Associação dos Juristas Potiguares Pela Democracia e Cidadania (AJPDC) APELA ao Tribunal Regional do Trabalho da 21ª Região para, sem a hesitação de desagradar os que enxovalham a honra da Justiça do Trabalho, que a citada instituição ESCUTE o clamor do espírito cívico e democrático da sociedade potiguar e assuma a consciência do seu papel histórico e social para que, ao invés de prestigiar e condecorar aqueles que lutam pela sua ruína, tome a atitude de doravante somente reconhecer e homenagear: as instituições democráticas, que resistem incansavelmente na trincheira da defesa dos direitos sociais; as pessoas, as autoridades, os empresários e as corporações que cumprem as suas obrigações com responsabilidade social; e, por último e não menos importante, os trabalhadores que produzem

FUTEBOL - SOBRE COPAS DO MUNDO

Zito e Pelé, sem piercing, sem dois milhões de tatuagens no corpo, sem cabelinho moicano, sem brinquinhos nas orelhas, sem salários de 6 dí...