quinta-feira, 31 de dezembro de 2015

FELIZ ANO NOVO

Mais um final de ano. Certamente vivenciamos tristezas e alegrias no ano que se encerra.Experiências que nos fizeram melhores ou piores aos olhos de Deus. Ele que tem um propósito para cada um de nós; e a concretização dessa vontade do Divino independe de outras pessoas, pois ele nos concede o livre arbítrio para fazermos nossas escolhas. Geralmente nos esquecemos de conversar com aquele que está presente em todos os momentos (nunca nos abandona). Eu, particularmente, tenho todos os motivos para agradecer por cada segundo, minuto, hora, dia, mês e mais um ano de vida. Tenho uma família linda, uma profissão, boas amizades e tive minha saúde recuperada. Louvado seja Deus sempre!Desejo a todos e todas um ANO NOVO de muita prosperidade, saúde e paz.. Grande Abraço!

sexta-feira, 25 de dezembro de 2015

SOBRE O NATAL

Natal dos Covardes
Por Marcelo Freixo

O que diriam os pregadores da intolerância, os obreiros do justiçamento, os apóstolos do olho por olho dente por dente sobre um homem que manifestou seu amor por um ladrão condenado e lhe prometeu o paraíso? Brandiriam o velho sermonário: bandido bom é bandido morto?
Na próxima quinta-feira, quase todos os brasileiros, inclusive os cônscios moralistas da violência que amarram adolescentes em postes para linchá-los, se reunirão com suas famílias para celebrar mais uma vez o nascimento desse homem.

Sujeito, aliás, que respondeu à provocação: está com pena? Então, leva para casa! Pois, é. Jesus Cristo prometeu levar o ladrão para casa. "Em verdade te digo que hoje estarás comigo no Paraíso", diz o evangelho de Lucas. Jesus optou pelos oprimidos e renegados, pelos miseráveis, leprosos, prostitutas, bandidos. Solidarizou-se com o refugo da sociedade em que viveu, contestou a ordem que os excluiu.

O Cristo bíblico foi um dos primeiros e mais inspiradores defensores dos direitos humanos e morreu por isso. Foi perseguido, supliciado e executado pelo Império Romano para servir de exemplo.Assim como servem de exemplo os jovens que são espancados e crucificados em postes, na ilusão de que a violência se resolve com violência. Conhecemos a mensagem cristã, mas preferimos a prática romana. Somos os algozes.

Questiono-me sobre o que seria dele em nossa Jerusalém de justiceiros. Não sei se sobreviveria. É perigoso defender a tolerância, o amor ao próximo e o perdão quando o ódio é tão banal. Como escreveu Guimarães Rosa: "quando vier, que venha armado".

Não é difícil imaginar por onde ele andaria. Sem dúvida, não estaria com os fariseus que conclamam a violência e fazem negócios, inclusive políticos, em seu nome.Caminharia pelos presídios, centros de amnésia da nossa desumanidade, onde entulhamos aqueles que descartamos e queremos esquecer, os leprosos do século 21. Impediria que homossexuais fossem apedrejados, mulheres violentadas e jovens negros linchados em praça pública. Estaria com os favelados, sertanejos, sem tetos e sem terras.Por ironia, no próximo Natal, aqueles que defendem a redução da maioridade penal, pregam o endurecimento do sistema prisional, sonham com a pena de morte e fingem não ver os crimes praticados pelo Estado contra os pobres receberão um condenado em suas casas.Diante da mesa farta, espero que as ideias e a história desse homem sirvam, pelo menos, como uma provocação à reflexão. Paulo Freire dizia que amar é um ato de coragem. Deixemos então o ódio para os covardes. Feliz Natal.

http://folha.com/no1721911
Folha de S.Paulo

quinta-feira, 17 de dezembro de 2015

QUEM SABE, FAZ A HORA E NÃO ESPERA ACONTECER..."NÃO VAI TER GOLPE"

roda de capoeira em concentração em frente ao IF
Quarta-feira, 16 de dezembro, em Natal participamos de mais uma movimentação de rua, quando verificamos a presença de várias entidades sindicais, trabalhadores em geral, alguns políticos de esquerda, estudantes,  centrais sindicais (CTB e CUT) e quem mais diz NÃO VAI TER GOLPE.

professor Renier e Alexsandro (sindicalista em Parnamirim)

João Corcino( sindicalista em Parnamirim) e Prof Renier

Prof Wagner (ex-diretor do SINTE e ex-presidente FOGEN) e Prof Renier

Prof João Pessoa (presidente do sindicato dos profissionais de educação fisica e ex-diretor do SINTE),   Prof João Oliveira (ex-coordenador Geral do SINTE) e Prof Renier durante caminhada


União da Juventude Socialista (UJS) - jovens na luta



sábado, 12 de dezembro de 2015

ANO 2016...NA POLÍTICA MUNICIPAL: RENOVAR OU CONTINUAR? O POVO DECIDIRÁ.


As eleições de 2016 estão quase na esquina e em toda parte se especula sobre nomes para prefeito ou vereador(a) e  para possíveis arranjos partidários. pouco se fala em projeto – ou seja, em torno de que ideias fulano ou sicrano pretende juntar forças a seu favor e conquistar o eleitorado. isso rebaixa a política, enfraquece os partidos e condena o poder local à mesmice.

É possível inverter a equação, pondo os bois adiante do carro e discutindo projetos políticos concretos antes da definição de nomes e coligações? possível é, embora não seja fácil tal a força da cultura sedimentada em sentido contrário. e se é possível, vale tentar, pois isso é mais do que necessário nesse tempo de mudança que o país vive, que repercute sobre a vida municipal.
É certo que em grande parte dos municípios do estado o grau de construção de uma consciência social esclarecida e de partidos aptos a abordarem a realidade de modo sistêmico é ainda rarefeito.
Impõe-se, portanto, a todo partido que deseja disputar o protagonismo político no município se apresentar diante dos demais e da sociedade com uma opinião consistente sobre a realidade local, suas possibilidades, desafios e riscos; o governo atual, que se pretenda manter ou substituir; as linhas essenciais de inserção do município no ciclo de desenvolvimento em curso no estado; o modo de assegurar a gestão democrática; o papel dos movimentos sociais, etc.

Formatar assim um projeto político para o município também demanda diálogo com as forças vivas da sociedade, o movimento popular, técnicos, intelectuais, personalidades influentes, igrejas, empresários. um bom exercício de construção coletiva das ideias. um fator de amadurecimento partidário - uma das pedras de toque do fortalecimento de nossa jovem e ainda instável democracia.  Em Lajes não deve ser diferente.

terça-feira, 8 de dezembro de 2015

Ministro do STF suspende andamento do impeachment

Ministro Luiz Edson Fachin alega que o objetivo é evitar que sejam praticados atos anuláveis Por Beatriz Bulla e Gustavo Aguiar
Brasília (AE) - O ministro Luiz Edson Fachin, do Supremo Tribunal Federal (STF), suspendeu na noite de ontem a instalação da comissão especial formada na Câmara dos deputados que analisará o processo de impeachment da presidente Dilma Rousseff. Os deputados já elegeram 39 integrantes da comissão oriundos de chapa formada por oposicionistas e dissidentes da base aliada do governo, após tumulto durante votação secreta (leia reportagem na página 5). Com a eleição, o grupo já daria início aos trabalhos com maioria a favor do impeachment.
Com a decisão e o impedimento dos trabalhos da comissão, o ministro do STF suspende todo o andamento do impeachment - incluindo prazos que estiverem correndo, como o da defesa da presidente. A suspensão é mantida até análise do plenário do Supremo Tribunal Federal sobre o caso, que está marcada para ocorrer na próxima quarta-feira, dia 16. Na ocasião, caberá à Corte analisar se os atos que já foram praticados - como a votação da chapa - são ou não válidos. Até então, o que já foi feito continua preservado.De acordo com o ministro, o objetivo da decisão é evitar que sejam praticados atos sobre impeachment da presidente que posteriormente venham a ser anulados pelo Tribunal.

"Com o objetivo de evitar a prática de atos que eventualmente poderão ser invalidados pelo Supremo Tribunal Federal, obstar aumento de instabilidade jurídica com profusão de medidas judiciais posteriores e pontuais, e apresentar respostas céleres aos questionamentos suscitados, impede promover, de imediato, debate e deliberação pelo Tribunal Pleno, determinando, nesse curto interregno, a suspensão da formação e a não instalação da Comissão Especial, bem como dos eventuais prazos, inclusive aqueles, em tese, em curso, preservando-se, ao menos até a decisão do Supremo Tribunal Federal prevista para 16/12/2015, todos os atos até este momento praticados", decidiu o ministro. Ele solicitou ainda que o presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), preste informações no prazo de 24 horas sobre a eleição da comissão especial.

A decisão foi tomada em análise de recurso proposto pelo PcdoB, que foi ao Supremo para tentar barrar a apresentação de chapa avulsa oposicionista na eleição e ainda garantir que a votação fosse aberta. A Câmara, no entanto, realizou a eleição antes de o ministro Luiz Edson Fachin, relator do caso, decidir a questão.O PCdoB argumenta que os integrantes da comissão devem ser oficialmente indicados pelos líderes partidários. Isso barraria, por exemplo, indicações avulsas feitas para a chapa alternativa. Disputas internas em partidos como PMDB provocaram a criação de uma "chapa avulsa", montada por oposicionistas e dissidentes da base, para integrar a comissão especial do impeachment.Poucas horas depois de serem derrotados em plenário com aprovação da chapa oposicionista para comandar a comissão especial que decidirá sobre o impeachment, deputados governistas comemoraram a decisão do ministro Edson Fachin, do Supremo Tribunal Federal.

A decisão
O ministro do Supremo Tribunal Federal Edson Fachin suspendeu, em decisão monocrática, a formação e a instalação da comissão especial da Câmara que analisará o pedido de impeachment da presidente Dilma Rousseff.

Próxima etapa
Caberá ao plenário do STF analisar se os atos que já foram praticados - como a votação da chapa para a comissão - são ou não válidos. Até então, o que já foi feito continua preservado, mas parado.

Papa ganha Lamborghini e decide leiloá-lo

O Papa Francisco foi presenteado nesta quarta-feira com um modelo especial da marca de automóveis de luxo Lamborghini, de cor branca, que ...